​Distribuímos o olhar profundo e triste de Liv Ullmann. A compulsão de Mastroianni por lindas mulheres. O ciúmes doentio de Sophia Loren. A loucura sadia de Klaus Kinski.​

Trouxemos Polanski, ainda novo, para os cinemas mais distantes da capital. Distribuímos a paixão de Fellini e a inteligência de Visconti, alimentando nossa vaidade com “O Leopardo”.

Choramos com a alegria sincera de Totó em Cinema Paradiso, e nos fascinamos com a estonteante beleza de Romy Schneider em Sissi.

Levamos o vazio existencial de Ingmar Bergman, com patrocínio do Banco do Brasil, à São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, uma retrospectiva de 52 títulos.

​​

Há 40 anos distribuímos e negociamos direitos autorais de filmes.